PROJETO PCD > Notícias

01/10/2018

Parceria FIRJAN SENAI E ABESPetro Forma PCDs

Mais notícias

Em busca de soluções para aumentar o percentual de pessoas com deficiência (PcDs) no mercado de Petróleo e Gás (P&G), a Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Petróleo (ABESPetro) fechou, em 2016, uma parceria com a Firjan SENAI. O resultado é o Projeto para Formação Integrada das Pessoas com Deficiência, que já capacitou 285 moradores dos municípios de Macaé, Quissamã, Rio das Ostras, Carapebus e Conceição de Macabu, no Norte Fluminense.

"Não adianta ficarmos esperando PcDs já capacitados para complementarem nosso quadro de funcionários por conta da Lei das Cotas. Precisamos cumprir nosso papel social e capacitar esses colaboradores", afirma Gilson Freitas Coelho, Secretário Executivo da ABESPetro.

De acordo com Carlos Magno, Gerente Geral de Negócios da Firjan, o projeto é um exemplo justamente por trabalhar a formação profissional em um ambiente de inserção e desenvolvimento humano. "A iniciativa não se preocupa apenas com a mão de obra, mas sim com o desenvolvimento humano, reforçando nosso papel na transformação da indústria". 

O projeto ofereceu, a fim de garantir a frequência dos alunos, uma bolsa-auxílio no valor de R$ 300,00/mês. Os estudantes frequentaram cursos de qualificação em auxiliar de operações logísticas, almoxarife I e II e assistente administrativo. A carga horária total foi de 180 horas, sendo 160 destinadas a conteúdo específico profissional e 20 de orientação para o mercado de trabalho ou oficina social. Todo o processo foi acompanhado por técnicos de educação e pedagogos da Firjan SENAI.

RESULTADOS

Ainda não há estatísticas referentes ao percentual de empregabilidade dos formados. Mas, entre os associados da ABESPetro, a prioridade é contratar esses ex-alunos. "Já conseguimos inserir alguns profissionais no mercado de P&G. Estamos otimistas com relação a novas contratações", afirma Vanessa Faissal, Diretora de Recursos Humanos da Fugro, localizada em Rio das Ostras.

Com a retomada dos investimentos no Norte Fluminense, Ricardo Marinho, gerente de Recursos Humanos da Transocean, planeja contratar ex-alunos do projeto: "Quando abrimos novas vagas, já sabemos onde procurar esses trabalhadores. Porém, vale destacar que o projeto não os capacitou apenas para trabalharem com a gente, mas sim para se inserirem no mercado de trabalho. Foi um ganho enorme para os participantes", pontua.

As perspectivas promissoras fizeram com que a ABESPetro e a Firjan SENAI planejassem uma nova etapa para o projeto. Dessa vez, serão ofertados os cursos de operador de computação, comprador, montador de painéis elétricos e reparador de computadores. O início está previsto para esse ano, com meta de formação de mais de 300 profissionais. 


Fonte: Firjan SENAI e ABESPetro. 

©Copyright ABESPetro 2018. Todos os direitos reservados.